quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Pleonasmo - eu cometo, tu cometes e eles cometemmmmm, rsrs - trechos de músicas famosas

1)Bem gente, destaco um trecho desse clássico do sertanejo:

Estrada da Vida

"Nesta longa estrada da vida
vou correndo não Posso parar.
Na esperança de ser campeão
alcançando o primeiro lugar"

Pergunta: "Campeão" já não pressupõe "primeiro lugar"? Fora campeonato de pontos corridos, ou fórmula um ou ainda, desclassificação,quem é que já viu alguém ser campeão alcançando o segundo lugar?
(Essa eu dedico para o meu filho "Vico").

2) Para não pensar que é perseguição com um gênero, que tal alguns trechos de vários gêneros e com a mesma redundância?

a - Angra dos Reis - Legião urbana

"É uma dor que dói no peito
Pode rir agora que estou sozinho"

b- Dor de amor - Beth Carvalho

"Ai como dói....Ai como dói a dor
Como doi a dor de amar"

c- Marchinha de carnaval:
Bandeira Branca

"Bandeira branca, amor / Não posso mais
Pela saudade que me invade / Eu peço paz
Saudade mal de amor, de amor / Saudade
Dor que dói demais / Vem meu amor
Bandeira branca / Eu peço paz"


c - Rei do Rock - Zé Ramalho

"Na tela grande do destino
Fui bandoleiro, fui caubói
Vaqueiro errante, beduíno
Soldado dado à dor que dói"


d - Meu Coração Está de Luto - Zeca Baleiro

"Dói demais a dor do amor
Esse amor não morrerá
A saudade ficará
Nesse peito sofredor"


Pergunta: Se é dor só pode doer, não é gente? A menos que todos estejam fazendo como Fernando Pessoa: Fingindo que é dor, a dor que deveras sentem

3) Feito à luz do Alvorecer - Grupo Revelação

"Olhando em seu olhar
eu me apaixonei comecei a sonhar
sonhando te amei
senti uma sensação que nunca imaginei"

Conclusão: Se a pessoa não sentir uma sensação, é muito capaz que sinta um sentimento, rs

Essas são pequenas gotas em um universo de pleonasmos, redundâncias presentes nas músicas que cantamos.

De volta ao planeta...

Bem gente, alguém já ouviu falar em "chover no molhado"? Uma figura chamada Pleonasmo faz exatamente isso. Não estou falando dos pleonasmos literários, que são feitos de propósito por alguns escritores, me refiro aos deslizes que cometemos como o famoso "sair para fora", "subir para cima" e por aí vai.
O engraçado é que as músicas, muitas delas, apresentam essa redundância que, tenho certeza, não é proposital.
Então para essa volta, pretendo destacar alguns trechos de músicas em que isso acontece.
Como sempre espero que vocês se divirtam. Beijos